Para melhorar de vida

Campo Grande, Lauro de Freitas e Eusébio demonstram os avanços proporcionados a seus moradores quanto ao nível de poder de compra e os serviços oferecidos

Por Carlos Dias e Gilmara Santos

Com uma população com mais de 800 mil de habitantes, a capital sul-mato-grossense Campo Grande ostenta a marca de primeira colocada entre as cidades do estado no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), com pontuação de 0,784. “A principal conquista que uma cidade pode comemorar é promover a qualidade de vida da sua população e temos certeza de que, ao longo dos últimos anos, o campo-grandense e as pessoas que adotaram a cidade para viver percebem no seu dia a dia as melhorias, que levaram a capital a ter um dos maiores índices de IDH entre as capitais do País”, considera o prefeito Gilmar Antunes Olarte (PP).

01

A cidade tem o 14.º maior rendimento entre as capitais brasileiras e isso garantiu o acesso da população aos bens duráveis e o primeiro lugar no subgrupo Padrão de Vida, tanto na categoria geral quanto entre os municípios de grande porte, do anuário As Melhores Cidades do Brasil. O prefeito explica que, de acordo com o Censo Demográfico de 2010, foram apurados bens duráveis em 249.514 domicílios. Em relação ao microcomputador, 115.956 casas possuíam o equipamento, sendo que 95.351 com acesso à web, o que representa 38,2% dos domicílios com internet. “É o maior percentual de Mato Grosso do Sul”, destaca Olarte.

Campo Grande conta, ainda, de acordo com o Perfil Socioeconômico de 2014 elaborado pelo Sistema Municipal de Indicadores Georreferenciados para o Planejamento e a Gestão de Campo Grande/MS (Sisgran) e que contabiliza dados até 2013, com uma frota de 472.922 veículos, a maior do estado. Para ter uma ideia da evolução, em 2004, a frota da cidade era de 239.359 veículos, considerando automóveis, caminhões, camionetas, micro-ônibus, motocicletas, entre outros. O telefone está presente em 107.632 domicílios, representando 43,1% das residências — maior percentual do estado e o 13.º maior entre as capitais brasileiras.

A qualidade de vida do campo-grandense avançou em diversos setores, entre eles no acesso a água tratada, esgoto, pavimentação, educação, habitação e saúde. “Temos investido em grandes obras de pavimentação asfáltica que levam qualidade de vida a milhares de pessoas. São dezenas de bairros que receberão o asfalto ainda neste ano”, diz o prefeito. As obras de drenagem contam com recursos federais e estão sendo desenvolvidas no intuito de dar um fim ao problema das enchentes que atrapalham a vida de muitos moradores.

“Na área da saúde, um gargalo em todo o País, criamos o PAI (Pronto-Atendimento Integrado), especializado no atendimento pediátrico, que fez a diferença para numerosas famílias em Campo Grande. São muitas as ações que elevaram a qualidade de vida dos nossos cidadãos”, diz o chefe do Executivo local. Para garantir esses avanços, o poder público municipal tem fiscalizado a implantação e o cumprimento da meta do sistema de abastecimento de água que atende atualmente 99,6% da população. O projeto Sanear Morena, que prevê a ampliação da rede coletora de esgoto, entra na terceira e última etapa. Em 2014, com o fim da segunda fase, o serviço de saneamento básico alcançou 73% da população da capital.

Na área da educação, os últimos dez anos mostram uma significativa evolução no número de salas de aula existentes, passando de 1.452 para 2.080, considerando as escolas urbanas e rurais. “Entre 2004 e 2015 passamos, na educação infantil e fundamental, de cerca de 80 mil para mais de 100 mil alunos matriculados. Todos com acesso a kit escolar, uniforme de qualidade e um dos melhores sistemas de ensino público entre as capitais do País. A taxa de alfabetização dos habitantes de 10 anos ou mais de idade é a maior do estado e a nona maior entre as capitais brasileiras”, orgulha-se o prefeito.

02

Reduzindo diferenças

Localizado no Litoral Norte do Estado da Bahia, o município de Lauro de Freitas se orgulha de ocupar o segundo lugar na classificação estadual do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal 2010, medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A cidade, que faz parte da Região Metropolitana de Salvador, só fica atrás da capital soteropolitana nesse indicador. O município também se destacou no anuário As Melhores Cidades do Brasil, com a primeira colocação entre as localidades de médio porte no subgrupo Padrão de Vida, que revela os avanços proporcionados à sociedade quanto ao nível de poder de compra e o número de bens duráveis nos domicílios.

Vale destacar que o indicador de padrão de vida analisa tanto o nível de renda como sua composição, nível de pobreza e nível de bens duráveis no domicílio e na cidade. Neste sentido, Lauro de Freitas apresenta níveis de renda 62% acima da média das cidades classificadas como médio porte. Quanto à composição da renda municipal, nos níveis de renda baixa, a cidade tem nível menor que a média de seus pares, ocorrendo o inverso quando analisados os níveis de renda média e alta, ou seja, a renda da cidade fica acima da média. Os níveis de pobreza também são menores que os da média das cidades de porte médio, e os níveis de bens duráveis estão acima da média.

“Temos investido em grandes obras de pavimentação. São dezenas de bairros que receberão o asfalto este ano”

Gilmar Antunes Olarte, prefeito de Campo Grande (MS)

Além disso, a evolução dos indicadores ao longo da última década revela que tem se estreitado a diferença entre os mais pobres e os mais ricos. Portanto, o perfil de renda melhorou. Logo, o padrão de vida tende a acompanhar essa evolução. Em parte, isso se deve ao fato de a cidade ser uma das mais industrializadas da Bahia, bem como entre as de médio porte. O município possui, por exemplo, uma unidade da Lenoxx, de aparelhos de som e eletrônicos, e ocupa a terceira posição entre as cidades baianas com mais fábricas, detendo grande concentração de “indústrias limpas”. Lauro de Freitas abriga, ainda, o Polo de Brinquedos, com empresas como a Acalanto e a BabyBrink, entre outras.

A preocupação com a preservação ambiental também é destaque. O município conta com quatro grandes parques concentrados na Área de Proteção Ambiental do Rio Joanes e em empreendimentos privados, também de caráter ecológico. A religiosidade é outro ponto forte. O município tem uma das maiores concentrações de terreiros de candomblé do Brasil (são 66 instituições cadastradas), que, aliados aos rituais indígenas e às tradicionais caminhadas esotéricas nas praias, dão o tom do sincretismo religioso local.

Foi também o primeiro município brasileiro a criar uma Secretaria de Políticas para Mulheres, a fim de atuar no combate às desigualdades entre os sexos e a implantar um departamento de políticas públicas para promover a igualdade racial. A cidade é reconhecida ainda por ter entre seus moradores algumas celebridades, como o pugilista Acelino Popó Freitas e ter recebido o músico jamaicano de reggae Jimmy Cliff.

Lauro de Freitas está entre as cidades mais industrializadas da Bahia, mas mantém a preocupação com a preservação ambiental

Lauro de Freitas está entre as cidades mais industrializadas da Bahia, mas mantém a preocupação com a preservação ambiental

Sem rupturas

Sem grandes alardes mas com bastante determinação, a cidade de Eusébio, localizada na Região Metropolitana de Fortaleza, tem priorizado educação e saúde em sua gestão administrativa. O resultado desse esforço é que o município de 79 quilômetros quadrados e uma população estimada em quase 50 mil habitantes foi classificado pelo anuário As Melhores Cidades do Brasil como o melhor do País no quesito Padrão de Vida, entre as localidades de pequeno porte.

“Educação, tecnologia em saúde, seguido de dedicação aos serviços e indústria e construção civil são focos. Penso que a continuidade das últimas gestões e a consolidação de todos serviços ofertados pela prefeitura ajudaram nesse processo”, afirma Arimatéa Junior, chefe do Executivo local, do Partido Republicano da Ordem Social (PROS). “Não houve ruptura das últimas duas gestões com esta nossa”, acrescenta.

“A continuidade das últimas gestões e a consolidação de todos os serviços ofertados pela prefeitura ajudaram neste processo”

Arimatéa Junior, prefeito de Eusébio (CE)

Com 100% das escolas da rede municipal integrantes do Programa de Tempo Integral, Eusébio obteve uma escolarização líquida de 98,27% em 2013, bem acima do obtido pelo Estado do Ceará, que ficou em 87,04%. Os dados são do Perfil Básico Municipal, do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece). Lembrando que escolarização líquida é a diferença entre o total de vagas oferecidas e número de alunos que realmente participam do Programa de Tempo Integral.

03

Em 2013, o município alcançou um índice de aprovação nas escolas municipais de 92,21%, enquanto o índice estadual ficou em 90,45%. Para a secretária de Educação de Eusébio, Ivonilde Santos, o número é significativo se comparado com o de 2004, que ficou em 82,88%. “Em dez anos, o município conseguiu melhorar o nível de aprovação nas escolas municipais. E nós queremos dar um passo à frente e universalizar os bons resultados para toda a rede pública. Estamos planejando junto com toda nossa equipe técnica uma nova estratégia para que os índices melhorem ainda mais”, diz a secretária.

O prefeito Arimatéa Júnior explica que o investimento em saúde também solidifica o alto padrão de vida. “Para o município, temos hoje 19 equipes de saúde da família e 18 postos de atendimento, sendo que até o final deste ano se somarão outros dois. Isso representa quase o dobro de equipes de saúde da família prestando assistência médica, a porta de entrada do SUS”, afirma. Arimatéa orgulha-se ainda ao dizer que a cidade tem uma policlínica com especialidades medicas — que seria supostamente atribuição do estado — custeada pela cidade: “Para um município com menos de 50 mil habitantes, trata-se de um feito”.

Um dos programas experimentais que chama atenção em Eusébio é o “desenvolvimento biopsicossocial, visando à habilitação e reabilitação de pessoas com comprometimentos físicos ou mentais, através do contato com animais. A equoterapia, lançada em de janeiro de 2014 em parceria com o Centro Hípico e a Equoterapia Chambord, utiliza cavalos em uma abordagem interdisciplinar nas áreas de saúde, educação e equitação. Segundo o prefeito, o projeto visa ao atendimento de pessoas com deficiência ou necessidades especiais. “O tratamento tem por objetivo ampliar a ação cognitiva, possibilitar um maior equilíbrio, a coordenação motora e aumentar a autoestima do paciente”, observa.

04

No projeto são atendidas 15 pessoas selecionadas pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), sendo quatro idosos, quatro autistas e sete crianças com paralisia cerebral. “Elas estão sendo atendidas por uma equipe especializada de fisioterapeutas, psicólogos, instrutores de equitação e terapeuta ocupacional. O atendimento tem a duração de 30 minutos, é individual e cada praticante tem aula uma vez por semana”, diz Arimatéa Júnior. Uma das beneficiadas é dona Maria de Lourdes, moradora do bairro Novo Portugal. Ela tem dificuldades na fala e paralisia em uma das mãos. Seu primeiro contato com o cavalo foi emocionante: acariciou o animal e depois, com muita dificuldade, disse que espera melhoras na sua saúde: “Estou confiando que vou ficar boa, meu desejo é que minha mão fique melhor e eu possa ter uma vida normal”.

IECIDADES_pag114_ECON_RANKPADRAO

One Comment