Como as cidades foram classificadas no ranking

Análise dos dados ocorreu de forma quantitativa e qualitativa e levou em consideração a evolução de 212 indicadores no período de dez anos, compreendido entre 2004 e 2014

A Editora Três e a Austin Rating firmaram uma parceria com o objetivo de analisar, classificar e mapear o nível de desenvolvimento socioeconômico dos 5.565 municípios brasileiros. Para atingir tal objetivo, a Austin Rating desenvolveu o Índice de Inclusão Social e Digital (IISD), que analisa 212 indicadores relacionados às áreas social, econômica, fiscal e digital e permite hierarquizar as cidades com foco na igualdade das oportunidades entre seus habitantes.

A análise dos 212 indicadores ocorreu de forma quantitativa e qualitativa. O desempenho dos municípios foi pontuado tanto pela condição do indicador em um único momento no tempo — a exemplo de uma fotografia —, bem como pelo desempenho da evolução desse indicador no tempo (como em um filme que conta sua história).

No cálculo do IISD, há 21 indicadores chamados de determinantes em virtude de sua representatividade nos grupos. Sua pontuação é somada após aplicação de sua ponderação. Já os demais 191 indicadores são chamados de condicionantes e sua pontuação é somada integralmente.

A pontuação dos municípios ocorreu de forma decrescente e conforme a posição em cada indicador. O município mais bem classificado no indicador “Y” recebeu 5.565 pontos, enquanto o mais mal classificado nesse indicador, apenas 1 ponto. Esse critério é aplicado linearmente tanto na análise quantitativa como na qualitativa. A nota máxima que um município pôde obter foi de 158,7416 pontos, ao passo que a mínima foi de 0,0285 ponto.

As informações dos 212 indicadores para os 5.565 municípios foram extraídas de fontes primárias públicas, como Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Secretaria do Tesouro Nacional (STN), Datasus, Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC), entre outras.

Apesar de existirem atualmente 5.570 municípios no Brasil, a amostra contemplou 5.565 cidades (ou 99,91% do total), pois cinco municípios foram emancipados a partir de 1º de janeiro de 2013. Portanto, não há massa crítica de indicadores suficiente para compará-los aos demais, cuja análise levou em consideração a evolução dos indicadores no período de dez anos. Os municípios emancipados a partir de 1º de janeiro de 2013 são: Paraíso das Águas (MS), Mojuí dos Campos (PA), Pinto Bandeira (RS), Balneário Rincão (SC) e Pescaria Brava (SC).

Além de serem classificados em um ranking geral — que engloba todas as cidades —, os municípios também foram categorizados e premiados conforme o tamanho de sua população, desta forma:
01ESTRUTURA DE PONDERAÇÃO DO IISD

Os 212 indicadores utilizados para o cálculo do IISD foram agregados e ponderados em quatro grandes grupos e 16 subgrupos, a saber

IECIDADES_METODOLOGIA_pag28a30-3

4 Comments

  1. Eliana
    2 anos ago

    Veja… que show

    Reply
  2. Adriano
    2 anos ago

    É um ranking interessante, como tantos outros que existem por aí, mas não possui consistência plena, pois mistura dados de anos diversos, em que alguns são atualizados todos os anos, outros apenas pelos Censos de 10 em 10 anos e por aí vai. Então fica difícil tentar entender um ranking que mistura informações anuais com informações decenais, como é o caso da população, em qeu está sendo usada apenas os valores do Censo de 2010, mas por outro lado utilizado o PIB de 2012… ou então o IDH calculado apenas em anos censitários??? Sinceramente, este trabalho mereceria totais elogios, se fossem trabalhadas todas as variáveis num único período de tempo, pois assim como está não tem como ser atualizado de forma constante e contínua, pois os dados dos Censos só terão novos valores em 2020…. E até lá, como fica a atualização deste ranking??

    Reply
  3. Vagner Rodrigues
    2 anos ago

    Estudo é interessante, apesar da diferença de datas bases que tornam comparações, por vezes, pouco precisas. Seria importante se essa base pudesse ser exportada para o Excel para pudéssemos fazer avalições combinando variáveis. Uma pena que possa apenas ser consultada e não exportada.

    Reply
  4. Igor
    1 ano ago

    Um ranking desse porte é significativo, Porém não permite se que veja os indicadores por cidade. E numeros não subistituem a percepção da populaçao. Em Volta Redonda basta andar pela cidade que você verifica que os números não correspondem à realidade do povo que usa os serviços públicos. Ex: o uniforme dos estudantes municipais não são entregues antes do meio do ano. Salas quentes, escolas com problemas diversos, professores mal remunerados,
    Isso só na educação, No cartaz espalhado na cidade diz que estamos em sétimo lugar. Sinto vergonha de ter um prefeito que usa esses subterfúgios para governar, E esses rankings servem só para isso, dar a alguns politicos instrumentos para perpetuar essa política suja.

    Reply