Brilho das novatas

Apesar de terem pouco tempo de fundação, Novo Xingu, Palmas e Araguaína mostram maturidade nas ações de desenvolvimento humano

Por Gilmara Santos

Localizado no norte do Rio Grande do Sul, Novo Xingu é o município com a menor população entre os que compõem o ranking do anuário As Melhores Cidades do Brasil. Com 15 anos de fundação, tem apenas 1.744 habitantes, o que contribuiu para se destacar no subgrupo Desenvolvimento Humano, ficando com a primeira colocação tanto na categoria geral quanto entre as cidades de porte pequeno.

01

Esse indicador revela os avanços do município no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), como educação, renda e longevidade, proporcionando melhor nível de igualdade para a população local. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cidade tem indicador 0,767, o que a coloca entre as melhores no Rio Grande do Sul. O indicador do IBGE mostra que 1.576 pessoas do município são alfabetizadas e que 382 moradores frequentavam creches e escolas em 2012.

Entre as iniciativas para garantir bom desenvolvimento humano, está a preocupação com a alimentação dos alunos. A prefeitura incluiu no cardápio escolar o consumo de cereais integrais, tais como pães, biscoitos, massas e arroz, gergelim, linhaça e aveia em flocos, além da proteína de soja texturizada (carne de soja). O município também oferece na merenda escolar nove tipos de frutas e 13 de hortaliças, adquiridos principalmente na agricultura familiar.

A cidade conta com dois estabelecimentos de saúde vinculados ao Sistema Único de Saúde (SUS), conforme informações do IBGE. Saúde está entre as prioridades do município, tanto que realizou em abril deste ano a segunda Feira Municipal de Saúde e Cidadania, com o objetivo de levar aos munícipes orientações, informações e atendimentos que abrangeram as diversas áreas da saúde e da assistência social.

02

A colonização do município se deu no fim do século XX, por alemães que formaram uma comunidade que ainda preserva muito bem a língua, as danças e outros costumes e tradições germânicos. O nome Xingu surgiu da vontade do colonizador (Herrmann Mayer) de homenagear a região do Xingu, no Mato Grosso, onde esteve estudando os índios de lá. A boa relação tida com os nativos o fez prestar-lhes essa homenagem.

A caçula das capitais

Palmas (TO) é a mais nova capital estadual do Brasil. Foi fundada em 20 de maio de 1989, mas só em janeiro de 1990 passou a ser a capital definitiva de Tocantins, porque antes não tinha condições físicas para sediar o governo, que ficou alocado temporariamente em Miracema do Tocantins. A cidade foi planejada pelos arquitetos Luís Fernando Cruvinel Teixeira e Walfredo Antunes de Oliveira Filho, é conhecida como a Capital das Oportunidades e tem apresentado destaque no desenvolvimento humano, conforme revela o anuário As Melhores Cidades do Brasil.

“Estamos avançando bastante com metas e objetivos ousados em todas as secretarias. Nosso objetivo é fazer o palmense feliz”, afirma o prefeito Carlos Enrique Franco Amastha (PSB), colombiano que vive há 32 anos no Brasil. Para ele, o desenvolvimento humano passa por quesitos como educação. Nesse sentido, o município aposta no aprendizado integral para os alunos do ensino fundamental. Das 44 escolas desse ciclo no município, 16 já contam com o período integral, atendendo 9.126 estudantes dos 23.649 alunos matriculados.

“Estamos avançando bastante com metas e objetivos ousados em todas as secretarias. Nosso objetivo é fazer o palmense feliz”

Carlos Enrique Franco Amastha, prefeito de Palmas (TO)

Para contribuir com a educação palmense, em 2013, a prefeitura levou 120 professores da rede municipal para conhecer o ensino na Finlândia, em Cingapura e na Itália. A cidade conta também com atividades extracurriculares, como coral, música clássica e da cultura local, entre outros. “O movimento junino de Palmas tem sido destaque e a quadrilha da cidade até já representou o Brasil no exterior”, orgulha-se o prefeito.

“O que também contribuiu para a melhora dos alunos na escola é o saneamento básico. Neste ano, atingimos a universalização da coleta e tratamento de esgoto e isso fez com que o rendimento escolar melhorasse 18%”, diz Amastha. Nos últimos dois anos e meio, o município ganhou 15 postos de saúde e 3.000 novos funcionários.

Para conseguir efetivar esses investimentos, Palmas tem realizado um forte de trabalho na área de finanças, o que levou a prefeitura a dobrar a arrecadação municipal entre 2013 e 2015. Isso ocorre principalmente porque há grandes áreas no meio da cidade que pagavam imposto rural e agora passaram a recolher o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). O município também passou a contar com o IPTU progressivo, que leva em consideração o valor, a localização e o uso do imóvel. “É questão de respeito ao contribuinte, porque todos os que devem pagam”, afirma Amastha.

Araguaína está entre as cidades que abrigam o maior número de nascentes em perímetro urbano; município é destaque também em desenvolvimento humano

Araguaína está entre as cidades que abrigam o maior número de nascentes em perímetro urbano; município é destaque também em desenvolvimento humano

“Palmas está na contramão da crise”, enfatiza o chefe do Executivo municipal, ao explicar que, mesmo com os percalços econômicos do País, investimentos estão sendo realizados na cidade. No início de junho, por exemplo, foi lançado o condomínio de luxo Alphaville Palmas, numa área vazia que era motivo de especulação imobiliária. “As duas etapas do empreendimento foram lançadas simultaneamente e havia fila de espera na madrugada para adquirir uma unidade. Tudo foi vendido em apenas duas horas”, diz Amastha. Ainda em junho foi inaugurado um shopping na cidade, que gerou 1.200 empregos.

Em outubro, Palmas vai receber a primeira edição dos Jogos Olímpicos Mundiais Indígenas. Além disso, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Caixa Econômica Federal fizeram um relatório sobre a cidade e vão liberar R$ 2,3 milhões, o que vai contribuir para o projeto Palmas Sustentável. A cidade realizou o 1º Congresso Internacional Solar e, afirma o prefeito, uma das potencialidades do município é a energia renovável: “Essas ações abrem uma janela da cidade para o mundo”.

03

De olho no futuro, Palmas será um dos primeiros municípios com menos de 500 mil habitantes a ter um BRT (sistema de transporte público baseado no uso de ônibus de tráfego rápido). “Ainda não temos problemas de transporte público como nos grandes centros, mas estamos enxergando a cidade do futuro e nos preparando para isso”, diz o prefeito, ao finalizar afirmando que está trazendo para a cidade as melhores práticas de administração pública do mundo.

Aula de educação

Cento e trinta nascentes no perímetro urbano catalogadas colocam Araguaína, no Tocantins, entre um dos principais municípios brasileiros no que diz respeito a nascentes. No entanto, é na educação que se destaca: está entre as 11 cidades brasileiras que foram agraciadas com o prêmio Excelência em Educação pelo Instituto Ayrton Senna.

Evasão zero e redução do número de alunos com atraso escolar — com dois ou mais anos de idade acima do previsto para a série em que estudam — foram alguns dos indicadores premiados. “A educação é uma prioridade para o município”, enfatiza o prefeito Ronaldo Dimas (PR), ao lembrar que, em 2014, foram destinados 39,6% do orçamento para a educação.

“A educação é uma prioridade para o município”

Ronaldo Dimas, prefeito de Araguaína (TO)

Entre os indicadores alcançados pela educação de Araguaína, destacam-se: evasão zero na primeira fase do ensino fundamental; evolução da porcentagem de alunos com aprendizado adequado em matemática, que em 2007 era de 10% e em 2013 passou para 37%; redução da taxa de distorção idade-série, que era de 14% em 2006 e baixou para 9% em 2013; salto no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 4,3% em 2007 para 5,4% em 2013.

Araguaína está entre as cidades que abrigam o maior número de nascentes em perímetro urbano; município é destaque também em desenvolvimento humano

Araguaína está entre as cidades que abrigam o maior número de nascentes em perímetro urbano; município é destaque também em desenvolvimento humano

Para o prefeito, uma série de fatores contribuiu para a conquista, entre eles os vencimentos dos docentes. “Nossos professores recebem salário médio de R$ 5.200 por mês para 40 horas semanais”, afirma Ronaldo Dimas, ao comentar que o piso municipal da categoria é de R$ 2.800.

Além de ensino básico e profissionalizante, Araguaína conta com três instituições de nível superior: a Universidade Federal do Tocantins (UFT), o Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos (Itpac) e a Faculdade Católica Dom Orione (Facdo).

04

O bom desempenho na educação contribuiu para que o município atingisse o primeiro lugar no ranking de As Melhores Cidades do Brasil no subgrupo Desenvolvimento Humano, entre as cidades de porte médio.

Além da educação, a cidade se destaca em saúde, com três hospitais, e também na habitação. Nos últimos dois anos, foram entregues 2.200 unidades habitacionais, mais 2.530 serão entregues ainda neste ano, outras 900 já foram contratadas e 500 estão para ser contratadas.

Três grandes frigoríficos estão instalados em Araguaína: Bertin, Minerva e Boiforte. A cidade chegou a ser cotada para se tornar a capital do estado, quando Tocantins foi criado, em 1989. Embora essa promoção política não se tenha concretizado, o dinamismo do município lhe garantiu o título de capital econômica do estado.

IECIDADES_pag190_SOCIAIS_RANKDESENV

4 Comments

  1. Carlos Brito
    2 anos ago

    Caro Brito, segue relação onde Feira de Santana aparece na 33ª colocação entre as cidades de porte grande no item relativo a Desenvolvimento Humano do estudo relativo As Melhores Cidades do Brasil.

    Reply
  2. jose leão
    2 anos ago

    Parabéns srs adminitradores públicos dessas cidades referência para Brasil no todo.

    Reply
  3. Kenneth
    12 meses ago

    Parabéns Araguaína-TO!!!!

    Reply
  4. Kenneth
    12 meses ago

    E palmas pra Palmas, nossa capital!!!

    Reply